Pular para o conteúdo principal

Tocantins, Maranhão e Piauí registram maior crescimento em educação no IDHM em 20 anos


fonte:Agencia Brasil
 
05/08/2013 - 7h35
Mariana Tokarnia
Repórter da Agência Brasil
Brasília - Os estados do Tocantins, Maranhão e Piauí tiveram a maior variação no componente educação do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 1991 a 2010. O Maranhão e o Piauí registraram variações de pouco mais de 78% e o Tocantins apresentou índice de 89% em 20 anos. Os três estados ocupavam as últimas posições do ranking nacional em 1991. Vinte anos depois, o Tocantins passou para a 14ª posição, o Piauí subiu uma - para a 25ª - e o Maranhão, que estava em último lugar, passou para o 19º. O índice da educação, que era classificado como muito baixo nos três casos, subiu para médio.
O IDHM foi divulgado na semana passada no Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. No Brasil, a área da educação teve o maior crescimento relativo, com 129% no período de 1991 a 2010.
O Tocantins passou de um IDHM Educação de 0,369 em 1991 para 0,699 em 2010. Entre os itens que compõem o indicador, a taxa de analfabetismo dos jovens de 15 anos ou mais ainda está abaixo da taxa brasileira, mas passou de 30,12% para 13,09% - no Brasil, a taxa de 2010 é 9,61%. Quanto à escolaridade, a expectativa de anos de estudo passou de 6,36 para 9,8, superando a expectativa brasileira de 2010, de 9,54. O atendimento também melhorou e superou a taxa brasileira de 93,19%. Se em 1991, 65,77% das crianças e jovens tocantinenses de 6 a 17 anos estavam na escola, em 2010 a taxa subiu para 93,86%.
No Piauí, a taxa brasileira de atendimento também foi superada em 2010 - 94,45% das crianças e jovens de 6 a 17 anos estavam na escola, enquanto em 1991 as redes de ensino atendiam a 62,91%. A expectativa de anos de estudo no estado passou de 5,89 para 9,23 anos - abaixo da nacional. A taxa de analfabetismo dos jovens de 15 anos ou mais ficou acima da brasileira. Em 1991, 40,46% não sabiam ler ou escrever, em 2010 eram 22,92%. O IDHM Educação do estado passou de 0,362 para 0,646.
No Maranhão, o IDHM Educação passou de 0,357 para 0,639. A taxa de atendimento de 6 a 17 anos passou de 59,38% para 93,01%, ainda abaixo da brasileira. A expectativa de anos de estudo também ficou pouco abaixo da nacional em 2010, atingindo 9,26 anos, mas apresentou aumento em relação à expectativa de 6,29 anos de estudo em 1991. Há 22 anos, a taxa de analfabetismo no estado era  40,68. Vinte anos depois, 20,87% não sabem ler ou escrever.
"Nesses últimos 20 anos, a educação é responsável por 71% da melhora do IDHM do Brasil", disse na última semana o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Ele reconheceu que a evolução não significa que todos os municípios tenham atingido um patamar satisfatório e lembrou que esses municípios precisam de apoio. "Esses municípios precisam de reforço, acompanhamento e apoio".  
Segundo a diretora executiva do movimento Todos pela Educação, Priscila Cruz, os dados mostram que o primeiro passo para a conquista do direito a uma educação de qualidade está sendo dado no Brasil. "O que a gente viu foi que nos último 20 anos o país avançou bastante, justamente no [estado e município] que estava atrás. Quanto mais atrás, maior o potencial de avanço", explica.
Ela aponta, no entanto, que a dificuldade do Brasil está em avançar na qualidade da educação, o que não é mostrado em índices como o IDHM. "Não basta a matrícula, tem que garantir qualidade. Nesse passo, que significa uma efetividade total, é que temos tido mais dificuldade em avançar". De acordo com o relatório De Olho nas Metas, produzido pelo movimento, o aprendizado é comprometido conforme o aluno avança.
Nos três estados, a meta de aprendizado em português e matemática não é cumprida no terceiro ano do ensino médio, etapa com o maior gargalo na educação brasileira. A exceção é apenas em português no Maranhão, onde 15,3% dos estudantes têm o aprendizado adequado, e no Tocantins, em que 20,2% estão de acordo com o período.
A meta do Todos pela Educação não é oficial, é calculada para que em 2022, ano do bicentenário da independência, o país assegure a todas as crianças e jovens o direito à educação básica de qualidade. Para isso, 70% ou mais dos alunos devem ter aprendido o que é adequado para a série. Pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Ministério da Educação, calculado pelo desempenho e pelo fluxo escolar, os três estados superaram a meta para o período.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Procurador do município de Araioses faz declarações bombástica afirmando que advogado não tem caráter

Estamos acompanhando a via sacra dos trabalhadores do serviço público municipal de Araioses, principalmente os servidores da educação sofreu constantes atrasos de salários em gestões geralmente nos últimos meses de mandato, mas agora com o governo Cristino a situação piorou e já no segundo ano de governo está com salários e férias de professores atrasadas por falta de competência para o cargo e por confiar em uma equipe em que o próprio procurador faz declarações maculando todos os advogados de não ter caráter, não poderia ser diferente com essa administração estivesse fadada ao fracasso. 
Em suas próprias palavras o procurador do município de Araioses, não demonstrou nenhum respeito pelos professores que buscavam informações diante de uma matéria maliciosa com objetivos traiçoeiros divulgada pelo bloqueiro secretário do município, mas o bloqueiro secretário subestimou os professores logo perceberam que sua intenção era tirar a responsabilidade do governo e tentar responsabilizar o s…

Ato de reduzir salários de professoras e professores prova insensatez e crueldade jamais imaginada.

Cristino Gonçalves Um verdadeiro clima de terror tomou conta da vida dos professores e professoras araiosenses. Esse lamentável clima foi criado a partir das informações de que o prefeito de Araioses, Cristino Gonçalves de Araújo pretende reduzir o salários desses servidores já no pagamento de janeiro, que ainda não foi pago. O fato é inédito nas administrações araiosenses já que nenhum gestor, por muito ruim que tenha sido para essa categoria tomou atitude tão drástica. Redução de salário não e sim de regência foi diminuída na última gestão do prefeito José Cardoso do Nascimento – o Zé Tude (2005/2008), justificada na época pela total falta de condições de serem pagas pela prefeitura, já que esse aumento – uma jogada de marketing – de Pedro Henrique (2001/2004), algo em torno de 65% do salário dos professores no apagar das luzes de seu governo. O que o prefeito de Araioses está ameaçando fazer tem o efeito de uma bomba atômica na vida desses servidores já que todos já vivem com difi…

Vereador foi ameaçado de auditoria em sua empresa por declarar não votar em código tributário do prefeito Cristino

Circula nas redes sociais vídeo institucional da prefeitura de Araioses onde o advogado tributarista Edmundo ameaça o vereador Ingram de auditoria em sua empresa por suposta sonegação de tributos ISSQN,  referente à empresa do vereador. O fato é que vereador foi notificado pelo município, mas tudo corria normalmente em conformidade com a legislação municipal, mas no momento que o vereador se posicionou contrário ao projeto que está tramitando na Câmara Municipal , onde o mesmo se posicionou através de um vídeo contrariando os interesses do chefe do executivo. 

O tributarista Edmundo que se qualifica como advogado contratado pelo município bom de retórica tenta a qualquer preço convencer os vereadores para aprovação imediato no desespero de não conseguir  os nove votos para aprovação do projeto, apeloui para o ataque e   expôs publicamente em tom ameaçador a auditório na empresa do vereador no intuito de desmoraliza-lo, acusando o mesmo de legislar em causa própria. 


Da mesma forma foi…